Mesmo com desaceleração do preço das carnes, prévia da inflação de janeiro é a maior em 4 anos

Agora em janeiro, o encarecimento do preço das carnes não foi tão marcante quanto em dezembro de 2019. De acordo com os dados divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira (23), no último mês do ano passado, o item teve alta de 17,71%. Já neste mês, o produto ficou apenas 4,83% mais caro. Ainda assim, ele teve o maior impacto no IPCA-15 (prévia da inflação).

As carnes tiveram a contribuição de 0,15 ponto percentual (p.p.) no índice, cuja variação foi de 0,71% em janeiro. Vale mencionar que esse percentual é o maior do mês nos últimos quatro anos. Quer saber mais sobre os dados divulgados pelo IBGE? Então continue lendo o nosso artigo.

A inflação de janeiro continuou alta mesmo com a desaceleração do preço das carnes. Entenda! (Foto: Divulgação)

Mais dados a respeito do preço das carnes e da prévia da inflação em janeiro

De acordo com o IBGE, o grupo que mais teve alta de preço na passagem de dezembro para janeiro foi o de alimentação e bebidas (1,87%). Dentro dele, as carnes tiveram a maior variação, mas outros itens também ficaram mais caros. As frutas e o frango inteiro tiveram alta de 3,98% e 4,86% respectivamente. Por outro lado, a cebola teve queda de preço (-5,43%).

Ainda que o grupo das carnes tenha tido maior impacto no resultado de janeiro, a desaceleração do seu preço fez com que a prévia de inflação deste mês (0,71%) tenha sido menor do que a de dezembro (1,05%). No entanto, é importante destacar que a variação atual foi a maior de janeiro em 4 anos. De acordo com o IBGE, em 2019, a prévia da inflação variou 0,3% no primeiro mês do ano. Em 2016, por sua vez, a variação foi de 0,92%.

O IBGE também revelou que, em 12 meses, o índice acumulou alta de 4,4%. Essa variação é mais alta que a registrada nos 12 meses imediatamente anteriores (3,91%). Vale mencionar que a variação do ano passado ficou acima do centro da meta para este ano. Espera-se que o índice acumule alta de 4%, podendo variar entre 2,5% e 5,5%.

Considerações finais

Tendo dito isso, nós do Financeiro Consulte esperamos que você tenha entendido porque, mesmo com a desaceleração no preço das carnes, o IPCA-15 em janeiro foi o maior em 4 anos. Comente abaixo o que você achou dos dados divulgados pelo IBGE e se você já tinha notado as mudanças apontadas pelo índice. Além disso, não deixe de acompanhar os artigos que publicaremos no site! Nós te deixaremos a par das principais notícias.

 

Fonte: Uol e Agência IBGE Notícias